The Easy Way to Consolidate Debt Without Collateral

scramble letters image showing the word unsecured loans
What Is the Easy Way to Consolidate Debt?

When you consolidate debt, you combine several loans into one loan. A typical consolidation loan requires collateral. The easy way to consolidate debt without collateral is to use an unsecured personal loan that offers you lower interest rates with no collateral requirement.

Why Consolidate Debt?

People get into debt in a variety of ways. They may be paying off student loans, medical expenses, or credit card balances. They may need to finance a major purchase that can’t be paid for with their normal cash flow.

If you have multiple debts to manage, you’re faced with writing numerous checks every month. You need to work with each lender separately to make any changes to your payments. It’s more difficult to get the most beneficial loan when there are many lenders to work with.

There are good reasons to consolidate debt. You’ll simplify your bookkeeping by working with just one lender.You can usually reduce the overall interest rate you’re paying, which cuts down the amount of your monthly payment. Additionally, taking control of your debt will help you to protect your credit rating and could get your out of debt faster.

Do You Need Collateral to Consolidate Debt?

When people think of consolidating debt, the first thing that comes to mind is that they need collateral to guarantee the loan. For example, if you borrow money against your car, you’re using your car as collateral. It reduces the risk for the people lending to you because they can repossess your car to pay your debt if you can’t make the loan payments.

While collateral makes lenders happy, many borrowers would prefer not to put the things they own at risk. For example, if you use your home as collateral and something unexpected happens that prevents you from paying off the loan, you could lose your house. If you’re in a bad situation where you can’t make loan payments, the last thing you need is to end up homeless.

Unsecured Personal Loans Eliminate the Need for Collateral

In recent years, unsecured personal loans, also known as peer-to-peer loans, have become more popular and advantageous to all involved. With peer-to-peer lending, an individual can get a loan from other people, not financial institutions. Here’s how it works.

The person who wants to borrow funds submits a loan application. People who are looking to invest fund that loan—usually there are multiple investors involved to reduce each lender’s risk. The investor can build a diversified portfolio based on a comfortable level of risk, and the return is usually higher than an investor can get elsewhere. It’s a win-win proposition.

BTCjam: The Easiest and Best Way to Consolidate Debt

BTCjam offers a unique way to consolidate debt into an unsecured personal loan. What makes it unique is that the financing is done using BitCoins rather than dollars. Using BitCoins reduces the costs involved in managing the loan and loan payments. With fewer costs, loans can post a higher return to attract more investors.

BTCjam uses a proprietary Global Credit Score algorithm to accurately assess each loan’s risk. Investors can choose the level of risk they want to tolerate. Investors are also encouraged to fund different types of loans, which further reduces their risk.

Since investing at BTCjam is so attractive, borrowers get the advantage of a large pool of investors to fund their loans. Borrowers can define the rate they will pay and how the loan will be repaid. The interest rates are lower than those a borrower would find at their bank.

If you are planning to consolidate debts, BTCjam is the place where you can get the best loan available. Visit our website at BTCjam.com for more information and to get your unsecured loan started today.

BTCjam_Blog_Banner-EN

Empréstimo para as férias: Viajar em família ao seu alcance

Férias com a familia - Mãe, Pai e dois filhos nos ombros dos pais

A vida não é só trabalho! Ou pelo menos não deveria ser, não é mesmo? Afinal, trabalhamos para suprir nossas necessidades e de nossa família, para poder conquistar e realizar nossos projetos e objetivos pessoais. Mas, muitas vezes, o dinheiro que já temos em mãos não é o bastante para fazer tudo e é preciso optar por fazer um empréstimo para aproveitar as férias e fazer aquela viagem dos sonhos, por exemplo.

Certos momentos muito especiais, como o planejamento de uma viagem tão desejada, ter o descanso merecido, visitar entes familiares ou amigos em outras cidades, se divertir e recarregar as energiase conhecer novas culturas, podem criar grandes expectativas. No entanto, infelizmente, mesmo trabalhando muito, chegamos ao final do ano sem conseguir economizar a quantia que precisávamos para colocar esta ideia em prática. E aí, se não houver uma saída, parece que tudo vai água abaixo e (poxa vida!) o jeito é passar mais um mês de pausa com limitações, pois a grana não é suficiente para fazer aquilo que planejamos.

Se identificou? Quer viajar, mas está faltando um pouquinho de dinheiro? Acompanhe o post de hoje e descubra o que fazer!

Como resolver?

Recorrer a um empréstimo pode ser a solução de muita gente! Afinal, abrir mão da tão esperada viagem quando existem formas de antecipar este dinheiro e aproveitar não parece necessário, não é mesmo?

Mas ainda há muito receio ao optar-se por um tipo de solução como esta, pois a ideia de empréstimo quase sempre nos remete a grandes taxas de juros, dificuldades para provar documentação, ter a renda aprovada, complicações para pagar, entre outras dificuldades.

O que muitos não sabem, no entanto, é que o empréstimo para férias é uma realidade que pode estar ao alcance de um jeito muito mais fácil!

Então, como posso conseguir um bom empréstimo para as férias?

Podemos falar de vários tipos de empréstimos, mas já para deixar claro a nossa recomendação aqui é um empréstimo pessoal sem colateral através do BTCjam.

Quando falamos em um bom empréstimo, não estamos nos referindo somente à quantia que você irá pegar, o que é relativo e varia de acordo com a necessidade de cada cliente, mas, sim, do conjunto de condições – como facilidade de aquisição, juros mais baixos e pagamento descomplicado – que tornam esta uma boa opção.

Você pode recorrer a muitos tipos, como o crédito pessoal no banco em que tem conta. Geralmente, é um valor pré-aprovado, de acordo com seu perfil e movimentação bancária, que pode ser solicitado a qualquer momento e dividido em vários meses, mas há taxas “proibitivas”, que chegam a triplicar facilmente o valor tomado.

Também há o chamado empréstimo consignado, feito por uma financeira que, muitas vezes, pode ter parcerias com a empresa em que você trabalha e desconta mensalmente as parcelas diretamente do seu salário.

Há, ainda, a opção de empréstimo direto com a agência de turismo com a qual você pode negociar, cobrindo taxas excedentes a seu orçamento, permitindo maior liberdade na escolha de destinos, hotéis, companhias aéreas e pacotes de passeio.

Porém todos estes irão demandar um custo maior em médio prazo. Sem contar que requer pagamento de boletos, faturas de cobrança (no caso de viagens parceladas via carnê, por exemplo) ou outras formas de pagar que podem demandar esforços com idas até bancos, o que, em muitos casos, pode até atrapalhar o pagamento em dia e gerar atrasos ou multas que só irão aumentar o valor da dívida.

O que é o Bitcoin?

São diversas as opções entre os empréstimos bancários tradicionais, os consignados e tantos outros conhecidos. Mas você já pensou em um meio alternativo que possa lhe oferecer crédito sem complicações e com menores taxas?

Por meio de um marketplace (uma nova modalidade de comércio eletrônico em que um único site congrega diversas possibilidades de produtos de mais de uma empresa ou fornecedor) voltado, de forma inovadora, à concessão de crédito, você pode conseguir formas mais simples e menos caras de pegar um empréstimo.

O empréstimo para férias pode ser um dos produtos da categoria financeira ofertados por este tipo de opção e, se você ainda não conhece, saiba que existem muitos benefícios em escolher um assim.

Neste tipo de negociação, pessoas ao redor de todo o mundo podem procurar ou fornecer empréstimos em Bitcoin, o qual é uma opção de se fazer transações comerciais pela internet sem necessariamente terem de ser intermediadas por bancos. Funciona por meio de um software de código aberto projetado para usar uma espécie de moeda em rede “peer-to-peer”, que são registradas em um banco de dados de contabilidade pública – o chamado blockchain, ou seja, pagando mais diretamente a quem forneceu o valor, sem mais delongas. É, portanto, uma tecnologia digital baseada em criptomoedas e, por ser de código aberto, significa que pode ser utilizada e configurada por qualquer marketplace, sem depender de autoridades centrais, como bancos. Em outras palavras, Bitcoin é uma moeda digital, mas com valor de moeda real.

Além disso, é uma opção bastante segura, pois a criptografia utilizada para converter o pagamento em moeda que o receptor, no caso, pode sacar após a doação feita pelo tomador em bitcoins pela internet, também possibilita certificar que serão gastos somente por quem tem direito, evitando fraudes.

Quais as vantagens disso?

Empréstimo para férias por meio de um marketplace como esse pode trazer benefícios, tais como:

  • Possibilidade de taxas menores sobre os empréstimos;
  • Forma rápida e descomplicada de pagar e receber por Bitcoin, aproximando esta experiência do que seria dar uma nota diretamente a uma pessoa como pagamento, sem intermediários e sem maiores burocracias;
  • Nova opção de crédito em países como o Brasil, que pratica taxas geralmente muito altas em suas instituições financeiras, dificultando o acesso dos brasileiros a recursos que lhes ajudem a realizar projetos;
  • Você encontra um jeito mais fácil e descomplicado de conseguir o que precisa para não desistir de algo que é importante para você;
  • É benéfico pois atende até as necessidades de quem já tem um dinheiro suficiente para viajar, mas não possui muita liberdade para, eventualmente, poder gastar com coisas extras que apareçam.

Viu agora como um bom empréstimo para férias pode estar a seu alcance? Curta a nossa página no Facebook e fique ligado em outras novidades!

Banner-Blog-Decisao-Certa-Participe-600x250

BTCjam Can Help You Consolidate Debt

Note: This is the English translated version of a blog post originally directed to  our growing  Brazilian community. If you speak Portuguese, check out our original post.

I’m in debt, what can I do?

womaninterest

My last article described how BTCjam generally works and provided some tips to help you get a loan with us. Now let’s get into more detail about how BTCjam can be a useful tool to help you consolidate your debts at lower interest rates.

This subject is increasingly relevant given that Brazil has some of the highest interest rates in the world. In fact, Brazil currently holds the record for the highest interest on credit cards in the world.

Current interest rates in Brazil

Based on a study conducted by Proteste that included 108 credit cards from 12 financial institutions, a regular Brazilian paid in July 2015 on average an interest rate of 378.76% for their credit card debt. The runner-up in this disastrous ranking is Colombia with 62.51%. In other words, Brazilian credit cards charge more than five times the interest charged in Colombia, and more than nine times the amount charged by the country in third place–Peru.

In Brazil, credit cards charge 14% per month while in the United States it is only 14% per year! With the average American income being five times higher than that of Brazil’s, the disparity in interest rates is shocking.

It’s not just credit card interest that is high in Brazil; overdraft interest is also exorbitant. According to Procon São Paulo, the average interest rate charged by banks on overdraft is reaching 11.49% per month – the highest in 10 years. Even the other kinds of loans, that are usually cheaper exceed the average of 6% per month.

Why are interest rates in Brazil so high?

Several economists have analyzed this question and the answer is not conclusive. There are many elements that make up the interest that is charged to the consumer, but we can summarize them as four main factors: the bank’s profit margin, tax, competition and default.

For those who are curious, I will explain the following:

  • Profit margin: Banks, like any business, have shareholders who invest in the company in exchange for a return. Banks seek profit to remunerate such shareholders with dividends.
  • Taxes: Governments not only tax the citizens, but also companies. The more banks are taxed, the more interest they charge. The Brazilian government is known to be a bloated machine that finances its expenses by charging high taxes.
  • Competition: The five largest Brazilian banks control 80% of the credit. Cases like this where there is low competition do not incentivize price drops (e.g. interest rate drops). Banks are protected by legislation and financial demands that drive away startups seeking innovative solutions to improve services for consumers.
  • Default: As a rule, the more defaults, the greater the interest. There is no national credit system in Brazil like in the US, so generally Brazilians pay higher interest rates to cover the defaulters’ failure to pay. This creates a vicious cycle since increasing interest rates generates more defaults, and more defaults create higher interest rates… BTCjam has developed its own credit system so that people pay fair interest rates that are in accordance with their ability to pay. Learn more about how BTCjam works.

The concept of debt consolidation

Raise your hand if you never entered the overdraft! I have definitely overdrafted my bank account in the past. I remember looking at my statement day after day, and to see the growing debt was distressing to say the least (just a note: Brazilian banks charges interest on a daily basis). I clearly remember a trip to Miami where I got carried away with the low prices. I ended up spending more than I could afford and when the bill came around, I could not pay it off so I paid the minimum balance. The following month I had to pay 14% on the debt I procured!

Sometimes an initial debt generates a snowball of  people getting another loan to pay the initial one. The result: people end up putting too much of their income towards the repayment installments that follow. To help people get out of this vicious cycle, one of the solutions is to exchange the most expensive debts (those that charge high interest rates) for a cheaper debt (with lower interest rates). This operation is called Debt Consolidation.

Debt consolidation is the solution to paying less interest

Instead of paying 14% per month on a credit card or 10% on overdraft, it can be preferable to borrow at BTCjam where borrowers pay an average of 6% per month!

For example, by consolidating a debt of $5,000 with 14% interest per month in 12 installments to a debt at 6% interest per month could save you $280 per month, or $3,400 in total. Recalling that the original debt was only $5000 (i.e. consolidating your debt) allows you to save 64% on the original debt!

Conclusion (TL;DR)

I hope you benefited from this introduction to the concept of Debt Consolidation for those who did not know, and from the explanation of how BTCjam helps people repay their debt with lower interest rates than banks or credit card companies.

Do not waste time; get a loan now on BTCjam and see how we can be of great help in paying your debt by saving on interest. If you know someone with debt, recommend BTCjam.

After all, a true friend does not let a friend struggle.

Saiba Sobre Consolidação de Crédito

Note: This is another blog post is directed to our Brazilian community. Feel free to read our English version if you want 😉

Estou endividado, e agora?

Não se desespere se está endividado

Não se desespere se está endividado

Meu último artigo foi sobre como o BTCjam funciona em termos gerais e algumas dicas para aumentar as chances de conseguir um empréstimo conosco. Esse artigo tem outro objetivo, o de explicar um dos melhores usos da ferramenta: ajudar as pessoas a quitarem dívidas pegando um empréstimo no BTCjam a juros mais baixos.

Esse assunto é cada vez mais pertinente, dado que o Brasil o país com maiores juros do mundo. Para ter uma ideia, é o campeão mundial isolado em juros no cartão de crédito.

Atuais taxas de juros no Brasil

Conforme levantamento da Proteste com base em 108 cartões de 12 instituições financeiras, o brasileiro pagou em julho de 2015 na média 378,76% de juros no crédito rotativo. O segundo colocado nesse ranking nefasto é a Colômbia, com 62,51%. Ou seja, no Brasil se cobra mais de 5 vezes os juros cobrados na Colômbia e mais de 9 vezes o cobrado no Peru, terceiro colocado.

Enquanto no Brasil a taxa de juros que o cartão de crédito cobra é 14% ao mês, a taxa cobrada nos Estados Unidos é de 14%, mas ao ano! Isso significa que um brasileiro paga num único mês os juros que um americano paga em 12 meses! E a renda do americano médio é 5 vezes maior que a do brasileiro…

Não são só os juros no cartão de crédito que são tão altos no Brasil. Os juros do cheque especial também são exorbitantes. Segundo o Procon de São Paulo, a média da taxa de juros que bancos cobram no cheque especial é a maior em 10 anos, chegando a 11,49% ao mês. Mesmo modalidades de empréstimos mais baratas ultrapassam na média 6% ao mês.

Porque os juros no Brasil são tão altos?

Afinal, porque os juros no Brasil são tão maiores do que no resto do mundo? Diversos economistas analisaram essa questão e a resposta não é conclusiva. São vários elementos que compõe os juros cobrados do consumidor, mas podemos resumi-los em quatro principais: margem de lucro do banco, impostos, competição e inadimplência. A seguir vou explicar um por um para quem tiver curiosidade:

  • Margem de lucro: como qualquer empresa, os bancos tem acionistas que investiram na empresa em troca de retorno. Bancos visam lucro para remunerarem tais acionistas com dividendos.
  • Impostos: Governos taxam não só os cidadãos como as empresas. Quanto mais imposto, mais juros o banco cobra das pessoas. Sabidamente o governo brasileiro é uma máquina inchada e precisa se financiar cobrando altos impostos da sociedade.
  • Competição: Os cinco maiores bancos brasileiros controlam 80% do crédito. Cenários de pouca competição como esse não favorecem a queda de preços (nesse caso juros). Bancos são protegidos por legislações engessadas e por demandas financeiras que afugentam startups que buscam soluções inovadoras para melhorar os serviços prestados aos consumidores.
  • Inadimplência: Via de regra, quanto mais inadimplentes, maior os juros. Como no Brasil não há qualquer sistema nacional de crédito positivo, os adimplentes pagam juros maiores para cobrirem a falta de pagamento dos inadimplentes. Isto que cria um ciclo vicioso, uma vez que os juros aumentam gerando mais inadimplentes, inadimplentes que causam mais aumento da taxa de juros, gerando mais inadimplentes… O BTCjam desenvolveu seu próprio sistema de crédito positivo de modo a que pessoas paguem taxas de juros mais justas, conforme sua capacidade de pagamento. Saiba mais sobre como o BTCjam funciona.

O conceito de Consolidação de Débito

Levanta a mão quem nunca entrou no cheque especial! Eu já entrei, e várias vezes. Aquela sensação de olhar o extrato, dia após dia e ver o débito crescendo era angustiante. E aquela dívida no cartão de crédito? Me lembro claramente uma viagem que fiz para Miami e me empolguei com os preços baixos. Acabei gastando mais do que podia arcar quando veio a fatura e não consegui pagar tudo. No mês seguinte a dívida veio corrigida em mais de 14%!

Enfim, é quase certo que você já passou por uma situação semelhante, não é verdade? Por vezes, uma dívida gera outra e mais outra e quando a pessoa vê está encalacrada com várias dívidas e comprometendo grande parte de sua renda só para pagar as parcelas. Para ajudar a sair desse ciclo, uma das soluções é trocar as dívidas mais custosas (as que cobram juros altos) por uma única dívida mais barata (com juros menores). Essa operação tem o nome de Consolidação de Débito.

Qual seria a solução para pagar menos juros?

Saia do ciclo de dívidas consolidando seus débitos

Saia do ciclo de dívidas consolidando seus débitos

A resposta à pergunta acima é Consolidação de Débito. Em vez de pagar 14% ao mês para o cartão de crédito ou então 10% no cheque especial, é preferível fazer um empréstimo no BTCjam, onde tomadores pagam em média 6% ao mês e economizar muito em juros. Num exemplo de uma dívida de R$5 mil com juros de 14% ao mês com 12 parcelas, ao consolidar a dívida com juros de 6% ao mês, a economia gerada passa de R$280 por mês ou R$3.400 no total. Lembrando que á dívida original era de apenas R$5 mil, ou seja, consolidar a dívida permite se economizar 64% da dívida original!

Conclusão (TL:DR)

Espero que tenham gostado do artigo. Tentei apresentar o conceito de Consolidação de Débito para quem não o conhecia e explicar como o BTCjam ajuda as pessoas a conseguirem quitar suas dívidas com juros mais baixos que em bancos ou operadoras de cartão de crédito.

Não perca tempo, simule um empréstimo agora no BTCjam e veja como podemos ser de grande ajuda a pagar sua dívida economizando em juros. Se você conhece alguém com dívidas, recomende o BTCjam. Afinal, quem é amigo de verdade não deixa amigos em dificuldade.

Guia Prático de como pegar emprestado no BTCjam

Note: This blog post is directed to our Brazilian community. But feel free to read our English version if you want 😉


nada de figa pra fazer empréstimo no BTCjam

Chega de torcer pra pegar seu empréstimo – confira nosso Guia abaixo

Olá conterrâneos!

Gostaria de usar esse post para explicar o que fazemos no BTCjam e como podemos ajudar o povo brasileiro nesse momento tão difícil da economia. Nossa missão é oferecer crédito acessível para pessoas ao redor do mundo. Acreditamos que principalmente agora com essa alta de juros (com cheque especial chegando a 300% ao ano) possamos de fato fazer diferença nas finanças pessoais e das famílias brasileiras.

Antes de explicar como funcionamos, acho importante falar um pouco sobre nós. O BTCjam é uma empresa sediada em São Francisco, Califórnia, fundada em 2012 pelo brasileiro Celso Cardoso Pitta (nenhum parentesco com o ex-prefeito de São Paulo!). Recebemos dois aportes de capital de fundos de investimento do Vale do Silício, entre eles fundos que investiram no Uber, Netflix, Dropbox e no Lending Club –  empresa líder de empréstimo online dos EUA – além de empresas de Bitcoin do porte do Coinbase e Xapo.

Temos dois alicerces no nosso sistema atual, são eles Bitcoin e nosso algoritmo de Crédito Positivo.  Bitcoin é importante pois foi a forma que nós encontramos para atuar em centenas de países com menor custo e com rapidez nas transferências. Hoje, já servimos empréstimos em mais de 120 países e somente usando bitcoin é que podemos ter uma estrutura de custos enxuta, o que se traduz em menores juros cobrados de quem faz empréstimo conosco.

Eu preciso saber sobre Bitcoin?

Você pode se perguntar o que é bitcoin e se precisa entender sobre o assunto para pegar um empréstimo pessoal conosco, não é? Pode ficar tranquilo, você não precisa ser nenhum especialista, já que temos parceiros ao redor do mundo que ajudam os tomadores de empréstimo a converter bitcoins em Reais ou sua moeda local de forma simples.

E como são os juros?

Mas voltando aos alicerces do nosso sistema, quero falar sobre  como calculamos quanto de juros cada pessoa terá que pagar. Veja só, nos Estados Unidos, normalmente quem paga as contas em dia paga juros menores. Isto é, se você paga o financiamento do seu carro em dia, por exemplo, quando for pegar emprestado com o banco para outro motivo vai pagar juros menores que seu amigo que vem atrasando seus pagamentos mês atrás de mês. Esse sistema é super justo e beneficia quem paga as contas em dia, diferente de como é no Brasil onde as pessoas cumpridoras das suas obrigações suportam os “caloteiros”, já que todo mundo paga a mesma taxa de juros. Diga-se de passagem, no Brasil temos os maiores juros do mundo – dívida com cartão de crédito chega a 400% ao ano (contra menos de 20% nos EUA, só para título de comparação).

Para calcularmos as taxas de juros, olhamos centenas de fatores como salário e outras fontes tradicionais mas principalmente fontes alternativas tais como dados advindos do Facebook, LinkedIn, Mercado Livre, Gmail, etc. Com base nessa montanha de dados podemos calcular a probabilidade de repagamento de qualquer pessoa no mundo, dar uma Nota de Crédito (que vai de A+ até D-) e, então, com base nessa Nota de Crédito, cobrar juros compatíveis. Nossos juros começam em 2,2% ao mês para tomadores A+ e na média são em torno de 6% ao mês para quem for fazer um empréstimo conosco.

Depois que você recebe sua Nota de Crédito, você está autorizado a solicitar um empréstimo na plataforma. Esse empréstimo é publicado para que investidores do mundo inteiro o analisem e decidam se querem financiá-lo ou não. Talvez você já tenha ouvido falar de alguma plataforma de crowdfunding como a Kickante no Brasil ou o Kickstarter nos EUA. Nosso funcionamento é semelhante: pessoas criam pedidos de empréstimo que são financiados por dezenas de outras pessoas, cada um colocando um pouco até que chegue no total solicitado.

Agora que você já sabe em linhas gerais como funcionamos, acho que vale a pena saber também qual a melhor maneira de usar nosso sistema.

Guia Prático de como solicitar um empréstimo no BTCjam:

1)   Sempre use dados verídicos. Nós usamos avançadas técnicas de confirmação de dados e se você usar informações falsas nós vamos descobrir e você será penalizado na sua Nota de Crédito ou mesmo será banido da plataforma. Isso vale também para quem cria contas em serviços somente para usa-los no cadastro. Portanto, se você nunca usou o LinkedIn por exemplo, não deve criar uma conta só pra nos informar. É melhor simplesmente não informar essa conta.

2)   Conecte o máximo de contas possíveis já que elas tem impacto tangível na taxa que você pagará, ou seja, seu juros.

3)   Peça para seus conhecidos escreverem  referências sobre você no site. Dica: Isso também pode te ajudar diminuir a taxa de juros.

4)   Depois de receber sua nota de crédito, crie seu pedido de empréstimo e descreva-o com detalhes: informando para que precisa de dinheiro (ex: quitar o cheque especial), de que forma terá recursos para pagar o empréstimo de volta e o plano de contingência caso dê tudo errado (tem algum bem que pode vender rapidamente para conseguir dinheiro para pagar quem financiou seu pedido).
DICA: Listas com mais detalhes, normalmente recebem investimento mais rápido

5)   Responda os comentários dos investidores com rapidez para que eles fiquem mais seguros em investir em você.
Dica: Te avisaremos por email sempre que comentarem na sua listagem.

Essas são dicas básicas para que você aumente as chances de conseguir seu empréstimo rapidamente através da nossa plataforma (sem precisar ficar torcendo como nosso amigo lá em cima!).

Ficamos muito felizes de oferecer finalmente no Brasil uma forma mais justa e mais parecida como as pessoas de países desenvolvidos fazem para pegar empréstimos.

Seja bem vindo ao clube! (e se você ainda não é membro, simule um empréstimo conosco)

Saudações!

How to apply for a loan on BTCjam, a practical guide

Note: This is the English translated version of a blog post originally directed to our Brazilian community. If you speak Portuguese, check out our original post.


Hello fellow Brazilians!

I would like to use this post to explain what we do in BTCjam and how we can help the Brazilian people in this difficult time of the economy. Our mission is to provide affordable credit for people around the world. We believe that especially now with such high interest rates (with overdraft rates reaching 300% per year) we can indeed make a difference in personal finance and Brazilian families.

Before diving into how we work, just a brief intro on the company itself. BTCjam is a company based in San Francisco, California, founded in 2012 by the Brazilian Celso Pitta Cardoso (no relation to the former mayor of Sao Paulo!). We received two contributions from Venture Capitalists in Silicon Valley, including funds that invest in many unicorns companies such as Uber, Netflix, Dropbox and Lending Club, as well as Bitcoin companies like Coinbase and Xapo.

We have two keys to the success of our model: Bitcoin and our Credit Scoring algorithm. Bitcoin is important because it is the way we engage in over a hundred countries with lower cost and increased speed of transfer. Today, we serve loans in more than 120 countries and by only using bitcoin we have a lean cost structure, which translates into lower interest rates charged to those who make loans through us.

Do I need to know about Bitcoin?

You may wonder what is bitcoin and need to understand the subject to get a personal loan with us, right? You can rest assured, you do not have to be an expert, since we have partners around the world that help borrowers to convert bitcoins into Reais or your local currency simply.

And how is the interest rate?

In the United States, generally, those who pay their bills on time pay lower interest rates on loans. That means, if you pay your car loan on time each month, you will probably have a lower interest rate than your friend, that has late payments showing up month after month.This system is super fair and benefits those who pay their bills on time, unlike it is in Brazil where people complying with their obligations end up supporting the “deadbeats” because everyone pays the same interest rate. I’m sad to say we in Brazil, have the world’s highest interest rates – debt on credit cards can reach 400% a year (compared to less than 20% in the US, only for purposes of comparison).

To calculate the interest rate, we look at hundreds of factors such as salary and other traditional sources but mostly alternative sources such as data coming from Facebook, LinkedIn, Free Market, Gmail, etc. Based on this mountain of data we can calculate the probability of repayment of anyone in the world, provide a credit note (from A+ to D-), and then based on this credit rating, determine the appropriate interest rate. Our interest begins at 2.2% per month to A+ borrowers and on average are around 6% per month for most who make a loan with us.

Once you receive your credit rating, you are allowed to apply for a loan on the platform. This loan is published for worldwide lenders to analyze and decide whether to fund it or not. Perhaps you’ve heard of some crowdfunding platform like Kickante in Brazil or the US Kickstarter. Our operation is similar: people create loan applications that are funded by dozens of other people, each putting a little until it reaches the total amount requested.

Now that you already know in general how we work, we think it is worth knowing also how best to use our system. Following is a brief practical guide to help.

Practical Guide to how to apply for a loan on BTCjam:

1) Always use truthful data. We use advanced data verification techniques, and if you use false information we’ll find out and you will be penalized on your credit note or even be banned from the platform. This also applies to those who create accounts on other services only to use them for the purposes of registration. So if you’ve never used LinkedIn for example, you should not create an account just to provide it to us. It’s better just to not have such an account linked (no pun intended!).

2) Connect the maximum possible accounts as they have tangible impact on the rate you pay, ie your interest.

3) Ask for references – acquaintances write about you on the site. Tip: This also helps you potentially lower the interest rate.

4) Once you receive your credit rate, create your loan application and describe it in detail: reporting to need money (eg pay off an overdraft), how you will afford to pay the loan back and contingency plan if everything goes wrong (have some asset that you can quickly sell to get money to pay the lenders who funded your request). TIP: lists with details, usually receive faster investment.

5) Reply comments from investors quickly so that they are safer to invest in you.TIP: we notify you via email when commenting on his list.

These are basic tips for you to get your loan funded quickly through our platform. We are very happy to finally offer Brazilians a fairer approach – the way people in developed countries get their loans.

Welcome to the club! (and if you are not a member yet, check your rate now)

Regards!

Ofir’s Four Rules for Successful Bitcoin Investments

Today we are pleased to have a guest post here on the BTCjam blog courtesy of Ofir Beigel. Ofir is an Entrepreneur, Bitcoin lover and blogger at 99Bitcoins.com. His site is a great resource covering many awesome topics with the Bitcoin industry. You can follow Ofir on twitter here: @ofirbeigel

My 4 rules for successful Bitcoin investments  

If you’re investing with Bitcoin by buying and holding long term, – you’re doing it wrong. Today I’ll try to explain four basic rules that I follow in order to maximize my Bitcoin investment potential.

It has been almost a year since I got acquainted with BTCJam and now I realize how little I knew about Bitcoin investments back then. Keep in mind – what is written in this post is my own personal opinion about investing and you can choose to accept it or reject it, but never do anything just because “someone said so”, always understand the motive for your actions.

  1. Diversify your Bitcoin portfolio

I have many currencies I deal with, and for each currency I have a different portfolio. For example, for US dollars I have some of my money invested in stocks, bonds and some in Bitcoins. Under this portfolio Bitcoin will be considered as a stock, mainly due to the fluctuating exchange rate and the fact that I do not get a steady stream of income out of it.

If I look at my Bitcoin investment portfolio, just buying and holding the currency itself would be considered as normal “cash” and my cash wouldn’t be bringing in any return. It’s the equivalent of just keeping your money at the bank without investing it.

When investing in BTCjam under this portfolio I consider the investment to be a corporate bond with a specific BTCjam rating.

If I wanted to invest in stocks under my Bitcoin portfolio I’d need to find a company that is valued in Bitcoins and not in USD. However, I don’t see any reason to do so as BTCjam’s investments yield competitive returns.

Since I earn a substantial amount of my income in Bitcoin I have to make sure I make the most out of it. Here are some of the things I do:

  • Keep a certain of my Bitcoins in the form of the currency itself (cash)
  • Invest some of my Bitcoins in BTCjam so they will continue to grow (bonds)
  • Exchange a portion of my Bitcoins to USD (another type of low risk investment)

Interestingly, BTCjam also saw the importance of diversification and received feedback that they acted on – with the launch of AutoInvest feature about a week ago. Instead of having to browse individual listings, an investor can easily diversify in 100 loans with specific quality and term parameters! One button diversification, now that is an EASY button.  But if you are the investor who wants to control which specific loans get invested in, and want to understand how to do that effectively – read on.

  1. Conduct ample research before investing in someone

I never invest in something I don’t know about. Luckily enough since I’ve been running 99Bitcoins for 2 years now I know a lot about Bitcoin. That’s why when I come to chose an investment I usually look at the following:

Expected Yield and Rate – Most people would prefer to get the highest yield they can. I personally believe that people who have super high yields have a serious risk of not paying back their loan. On the BTC platform the lowest yield I could currently find was 22% and the highest was 37%.

You’ll notice there is a high correlation between the Yield on an investment and the low BTCjam rating of a user. Even though I’m not aware of the whole process a user goes through in order to get the BTCjam rating I’m sure this means something.

I tend to go for a low-middle yields knowing that for shorter term loans there is the be

The user profile – People who are serious about getting their investment and actually repaying it will take care of their profile. Here are some of the things I look out for:

  • The user’s profile picture – nothing spells trouble more than a blank profile picture.
  • Has this user repaid previous loans – I never invest with someone who hasn’t repaid a considerable amount of money in loans in the past.
  • User credentials – Has the user connected his Facebook profile, LinkedIn profile and other profiles to BTCjam. If so it means he is open about his identity which is a positive indicator.
  • How long has this user been a member of BTCjam – I shy away from users who joined in the past 3 months.
  • BTCjam’s rating – This will usually correlate with my own findings about the profile but I treat this as a second opinion to validate my research.
  • What is the investment for – If there is no detailed description for the investment I will not invest. An important question that should be answered is what will the investment be used for.

Here’s an example of my latest investment – you can take a look at the profile and detailed description.

OFIR - img1

  1. Never invest more than you can afford to lose

Probably the most important guideline of them all – Never invest an amount that is crucial for your survival. I’m a believer in Bitcoin but still I keep only a fraction of my entire wealth in it – why ? Because it’s too risky not too.

Whenever I enter a risky investment (e.g. Bitcoin) I try to imagine how would I react if I lost all of it. If the thought is too scary, I just don’t do it – or I lower the investment amount.

Bitcoin is a risky business, and BTCjam investments make it even riskier by lending it to strangers – but if done wisely, these investments can grow your Bitcoin wealth over time.

  1. If you don’t find any good investment – don’t invest!

Sometimes you just won’t be able to find someone that matches your criteria. In this case you’re better off not investing and checking back to see if there are new investment opportunities in a few days or so.

There are so many scammers out there and Bitcoin is still an extremely risky business. For example, in my initial review of BTCjam I also cover a Bitcoin investment website called “Bitcoin Trader”. That site later on turned out to be a HYIP and many users (myself included) lost their money. There is no such thing as “easy money”, make sure to conduct proper research.

To conclude, I believe that if you follow these guidelines your chances for success will increase dramatically. Please remember that this is based on my own personal opinion and experience (I have no formal investment certification). I recently finished getting back a loan on BTCjam and just invested in a new one with a larger amount of money.

Hopefully this one will go well also and I can move on to additional investments and update you about them as well. If you have your own investment tips please feel free to leave them in the comment section below, I’d love to hear them.